Historias

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Sr. Playboy - Capitulo 47

No sábado, passava das cinco da tarde quando Demi entrou na alameda principal do condomínio e estacionou o Mercedes na garagem. Depois que Joe e Dani haviam partido, criara o hábito de ficar cada vez mais tempo no escritório, trabalhando até mesmo aos sábados, pois só assim conseguia minimizar a dor provocada pela ausência deles.
De qualquer modo, a vida precisava continuar e uma prova disso era aquela placa de "VENDE-SE" que trouxera no porta-malas para colocar na casa em frente. Antes de fazer isso, porém, precisaria tomar uma boa taça de vinho e reunir coragem para cumprir a sua triste missão.
Ao pensar no assunto, decidiu que talvez fosse uma boa idéia procurar Miley, Selena e Kristen para ajudá-la a fazer o que precisava ser feito, afinal, suas três amigas eram parcialmente culpadas pela tristeza que a assolava naquele momento.
Imersa naquele misto de emoções, saiu do carro e começou a deixar a garagem. Então, quase desmaiou de susto quando sentiu um tufo de pêlos roçar em suas pernas.
— Kiwi?! — exclamou, ao ver o cãozinho marrom-acinzentado pular tão alto que bastou abrir os braços para pegá-lo no colo. Antes que tivesse conseguido se livrar das insistentes lambidas de Kiwi em seu rosto, olhou de soslaio para a rua e avistou Danielle que se aproximava correndo. Em questão de segundos, as duas estavam se abraçando, chorando, e Kiwi tentava secar-lhes as lágrimas, sem saber ao certo a quem deveria agradar primeiro.
Joe não está em casa — Dani falou, passado alguns instantes. — Sabe para onde ele foi?
Demi sentiu o coração comprimir-se dentro do peito.
Sinto muito, querida, mas não sei nada a respeito de Joe.
A garota a fitou, parecendo incerta sobre o que dizer.
Na verdade, não vejo Joe desde a noite em que você partiu — explicou Demi. — Mas venha, vamos falar sobre isso lá dentro. |
Minutos depois, estavam sentadas à mesa do pátio, ao lado da piscina que Dani tanto gostava. Com todo o cuidado. Demi contou a ela tudo o que acontecera e também sobre a intenção de Joe de vender a casa.
Será que posso usar seu telefone para ligar para o meu pai? — Dani pediu, após alguns instantes de hesitação.
Claro — concordou ela, tirando o celular da bolsa e entregando-o à menina.
Dani discou rapidamente, e, quando ninguém atendeu, deixou uma rápida mensagem:
Joe, sou eu, Dani. Por favor, ligue para mim assim que puder.
Ao vê-la desligar. Demi comentou:
Não sei, não, meu bem. Mas acho que ao perceber que o número do qual você discou é o meu, Joe não retornará a ligação.
Nesse caso, ligarei para o agente dele — respondeu Dani, dando de ombros. — É a única pessoa que sempre sabe onde Joe está.
Pode ser uma boa idéia.
Sim, tão boa que vou fazer isso agora mesmo. Pode me emprestar o celular novamente?
Quando Demi o fez, Dani pegou o aparelho e foi até o outro lado da piscina, onde a recepção do sinal era melhor, e falou animadamente com alguém, antes de retornar à mesa.
Rápido, Demi — disse, entregando-lhe o aparelho. — Você precisa me levar até o Wrigley Field. Joe foi convidado a lançar a primeira bola do último jogo da temporada dos Cubs. Se não nos apressarmos, eu o perderei para sempre.
Demi começou a protestar, mas Dani parecia tão desesperada para encontrar o pai que ela acabou por sucumbir ao pedido. Em segundos, estavam acomodadas no carro e deixavam as ruas arboriMileys de Woodberry Park para trás.
O Sr. Vance nos encontrará na entrada principal do estádio , — Danielle informou, enquanto Demi tentava driblar o trânsito do final de tarde. — Ele disse que arrumará alguém para estacionar seu carro enquanto nos conduz até meu pai. Ficaremos na primeira fileira de cadeiras vips, bem em frente à base principal do time da casa.
Demi fitou Danielle de soslaio.
—Tem certeza de que o Sr. Vance conseguirá providenciar tudo isso até chegarmos ao estádio?
Espero que sim, pois foi o que me prometeu.
Não fique zangada comigo, Dani, mas assim que encontrarmos o Sr. Vance acho que deverá acompanhá-lo sozinha. Joe já deixou bem claro que não temos mais nada a dizer um ao outro.
De jeito nenhum! — exclamou a menina. — Você precisa ir comigo. Por favor. Eu morrerei se Jennifer DiCarlo estiver lá.
Demi franziu o cenho e olhou desconfiada para Danielle.
— Jennifer DiCarlo? — repetiu, não entendendo o que estava acontecendo. — A modelo?
Sim, a própria — Dani confirmou, parecendo estar prestes a romper em lágrimas. — Voltei de Los Angeles justamente para impedir Joe de se casar com ela.
A notícia foi tão inesperada que, por um instante. Demi deixou o carro sair da estrada. Agarrando o volante com as duas mãos, ela respirou fundo e voltou à pista principal.
Por acaso Joe lhe disse que se casará com Jennifer DiCarlo?
Não — Dani admitiu. — Mas você não leu a última edição da revista People? Todos estão falando sobre isso e como Jennifer e Joe são o casal perfeito.
Demi suspirou aliviada.
Dani, querida, não pode acreditar em tudo o que lê nas revistas. Existe muito sensacionalismo e notícias manipuladas por aí.

Não quero nem saber! — bradou Dani, enxugando uma lágrima que rolava pela face macia. — Não quero Jennifer DiCarlo como madrasta. — Com um movimento inesperado, esticou o braço e cobriu a mão de Demi com a sua. — Você é a única mãe que sempre quis ter, Demi. Sabe disso, não? Aliás, você é a única mãe que já tive.

Próximo Capitulo... 

Meninas a tória está acabando e pretendo posta as sinopses das outras pra vcs escolherem a próxima o que acham ???

7 comentários:

  1. aaaaaaaaah perfeito, quem diria Dani assim tão mansinha aushaushaushuahs
    posta looogo *_*

    ResponderExcluir
  2. aaah!! que lindo.
    Posta logo!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Sim faça isso.
    Mas posta logo, estou morrendo de ansiedade!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Quando vai postar ??

    ResponderExcluir
  5. OK preciso da continuação rápido se não vou MORRER. POr favor!!

    ResponderExcluir