Historias

domingo, 14 de abril de 2013

Sr. Playboy - Capitulo 16 parte 1


Rapidamente, ele ajustou o cinto de segurança e pediu: Será que pode ir mais devagar?
Demi não se dignou a responder, mantinha as duas mãos no volante e os olhos fixos na estrada. A expressão enfurecida que pairava nas feições que em outras circunstâncias eram tão belas o deixaram preocupado.
Céus, Demi, se continuar a correr assim vai acabar nos matando.
— Relaxe, Joe. Apenas os bons morrem cedo — gracejou ela, lançando-lhe um olhar fulminante. — Portanto, um bad boy como você não tem com o que se preocupar.
Essa história outra vez, não! — irritou-se Joe. — Qual é o seu problema, afinal? Disse que discutiríamos o assunto quando eu entrasse no carro, agora vá em frente e conte-me por que age de maneira tão insana quando estou por perto.
Não
 temos nada a discutir.
Ah, sim, temos. Só alguém completamente fora de si agiria como você está agindo comigo.
Em resposta ao comentário. Demi pisou ainda mais fundo no acelerador.
Certo, certo — Joe sucumbiu. Nunca gostara muito de velocidade. Ficava apavorado ao ver os outros carros e a paisagem passarem ao longo da janela como se fossem meras manchas escuras e disformes. — Podemos esquecer toda essa discussão sem sentido se você parar com essa história de bad boy, garanhão e Mr. Playboy que inventou desde o início. Eu não sou assim. Esse é um personagem que a mídia criou para vender mais jornais e revistas sensacionalistas, só isso.
Ah, claro, falou o Sr. Joe, o Lobo, Jonas.
Para sua informação — Joe começou a dizer —, ganhei o apelido de Joe, o Lobo, quando fiz um número recorde de pontos em meu primeiro campeonato na Liga Nacional de Beisebol e recebi o prêmio de Atleta Revelação do Ano.
Não foi isso o que você disse quando foi entrevistado por Bárbara Walters.
Bárbara Walters?! — Joe estava confuso. O que Bárbara Walters tinha a ver com tudo aquilo?!
Demi fez questão de lembrá-lo.
Bem, em uma entrevista que deu a Bárbara você disse que o chamavam de Joe, o Lobo, porque quando levava uma bela garota para jantar não costumava devorar apenas a comida, mas sua acompanhante também. Lembro-me de tê-lo ouvido dizer: "O jantar primeiro, a garota depois". Fiquei enojada com sua atitude.
Joe não podia acreditar no que estava ouvindo.
Que, diabos, quer dizer tudo isso? Como pode pautar sua opinião a meu respeito em uma entrevista que dei centenas de anos atrás?! — Ele meneou a cabeça, como se tentasse absorver a história. — Escute, Demi, quando disse isso eu era jovem, imaturo e estava tentando provar ao mundo que não me importava com o fato de minha esposa ter me abandonado, ok? Mas se você está dizendo que essa frase infeliz que eu pronunciei quase quinze anos atrás é a razão para seu comportamento insano, então, além de dizer que sinto muito se a ofendi, não posso fazer mais nada para mudar a situação, pois qualquer um com um pouco de discernimento veria que um comentário desse estilo só pode vir de alguém que está tentando se auto-afirmar e de um jovem inseguro e assustado.
Demi o fitou de soslaio, mas não disse nada. Estava confusa e não sabia mais o que pensar. Assim, diminuiu a velocidade do carro e os dez minutos que os separavam de Woodberry Park foram feitos no mais completo silêncio. Quando parou diante da casa de Joe, que nem mesmo a encarou antes de levar a mão à maçaneta e fazer menção de descer, ela acionou as travas eletrônicas.
O que foi agora? — ele perguntou, suspirando e recostando a cabeça no banco do carro.
Bem, deseja mesmo saber por que fiquei tão zangada com você desde que nos conhecemos?

Próximo Capitulo.....
meninas se houverem bastantes comentários posto mais um ainda hoje !!

6 comentários:

  1. Liindoo demais muito meesmo, posta logo por favor, pleease, beijos

    ResponderExcluir
  2. AAAAAAA AMEEEI DEMAIS, ESSA HISTORIA ARRASA, POOSTA LOGO, POSTA OUTRO HOJE!!
    C. Shay

    ResponderExcluir
  3. Posta logo, ta lindo demais, pots mais hoje sim, xoxo

    ResponderExcluir
  4. faz MARATONA! por favor posta logo bjs

    ResponderExcluir