Historias

domingo, 14 de abril de 2013

Sr. Playboy - Capitulo 16 parte 2


Pensei que não quisesse mais discutir esse assunto — respondeu Joe, fechando os olhos.
Diga-me, alguma vez você já alimentou uma fantasia romântica em relação a alguém famoso, mesmo sabendo que essa fantasia jamais se tomaria realidade?
Joe abriu o olho esquerdo e a observou com o cenho franzido.
E não minta para mim — Demi insistiu. — Todos nós fazemos isso pelo menos uma vez na vida.
Ele sentou-se ereto e passou os dedos por entre os cabelos escuros.
Sim — respondeu finalmente. — Tinha fantasias em relação a uma mulher famosa e acabei me casando com ela.
Demi assentiu, pois já imaginava algo parecido. — Entendo... E quando Carla Harper o desapontou, você sofreu, mas conseguiu superar tudo, não foi?
Foi.
Desta vez. Demi precisou respirar fundo antes de prosseguir:
Não sei por que estou lhe dizendo isso, Joe, mas a verdade é que a pessoa famosa que povoava minhas fantasias de adolescente era você. Então, depois daquela entrevista que deu a Bárbara Walters, fiquei muito decepcionada e acabei achando que minha fantasia era uma grande farsa. Esse é o meu problema em relação a você.
Desta vez, Joe virou todo o corpo para encará-la.
Movida por um impulso. Demi fez a mesma coisa e os dois ficaram frente a frente, suas faces a poucos centímetros uma da outra.
Mesmo?! — Joe perguntou, e, misteriosamente, havia um sorriso nos lábios carnudos. — Teve uma paixonite adolescente por mim?
Tive uma fantasia adolescente, seria o termo mais adequado — Demi esclareceu. — Depois superei tudo.
As íris acinzentadas a perscrutaram de alto a baixo.
Não estou entendendo, Demi. Se superou, então, qual o seu problema em relação a mim?
Meu problema é que depois de todos esses anos você me aparece do nada e vem morar no meu condomínio mostrando a todos como é o Sr. Bom Pai, Bom Amigo, Bom Vizinho. Lamento, mas não quero, e não posso aceitar, que aquele que destruiu meus sonhos de adolescente seja, de fato, uma boa pessoa. Preciso continuar a vê-lo como o bad boy que deu aquela entrevista infeliz há quase quinze anos.
Diante de tais palavras, Joe ficou ainda mais confuso.
Pense, se for mesmo um bad boy, Joe, o Lobo, Jonas, não terei motivo para gostar de você e manterei distância, em outras palavras, estarei segura e poderei me concentrar em meu trabalho que está indo muito bem, obrigada. Pela primeira vez na vida, não estarei subordinada ou vinculada a ninguém a não ser a mim mesma e a minha vida profissional. Portanto, não tenho tempo ou interesse para deixar que uma fantasia da adolescência se manifeste a essa altura dos acontecimentos, como você também não tem tempo ou interesse em envolver-se com mais nada a não ser com sua filha, certo?
Quando Joe não respondeu. Demi prosseguiu:
Não o culpo por pensar que sou louca ou psicótica. Agi de maneira muito estranha desde que o conheci, em especial esta noite. Mas o que estava tentando fazer era provar que eu tinha razão a seu respeito e que não passava de um playboy que não perde a oportunidade de levar uma mulher para a cama. Assim, achei que se lhe desse a chance, acabaria tentando me seduzir, o que provaria que era mesmo o cretino que sempre imaginei. No entanto, quando percebei que não tinha o menor interesse em mim, eu...
Joe arregalou os olhos, espantado.
O quê?! Acha mesmo que não me sinto atraído por você, Demi? — Um riso rouco escapou dos lábios sensuais. — Só pode estar brincando. A noite toda fiquei imaginando como deveria ser maravilhoso poder beijá-la dos pés à cabeça, despi-la e traçar as curvas generosas de seu corpo com a ponta de meus dedos, antes de possuí-la com paixão e ardor.
Oh... — ela gemeu, então sorriu. — Certo, já entendi o que está fazendo. Boa piada, mas não funcionou.
— Não é uma piada! — Havia uma rouquidão inegável a permear a voz de barítono. — E depois de despi-la e acariciar seu corpo ficaria maravilhado em poder satisfazer todas as fantasias e os desejos secretos que você diz partilhar com suas amigas do Clube da Fantasia.
De súbito, inclinou-se sobre ela e fitou os lábios rosados como se estivesse hipnotizado.
Demi afastou-se e recostou-se no painel da porta. Ouviu-se um clique das travas sendo desativadas.
Não, como disse, já superei o que sentia. Obrigada, de qualquer forma.
Um sorriso charmoso iluminou as feições másculas de Joe.
Ora, talvez seja esta a nossa última oportunidade de provarmos quem realmente somos e o que queremos. Poderíamos tentar nos conhecer melhor. Pense, assim você teria a certeza se sou ou não um bad boy como insiste em dizer.
Demi estava tão colada à porta do carro que podia sentir a maçaneta pressionando contra a pele macia de suas costas. Joe aproveitou aquele momento para dar sua última cartada.
— Vamos, pense, Miley e Liam estão no hospital, nossos vizinhos mais próximos não devem chegar tão cedo e minha filha só virá amanhã. — Recostou-se e sussurrou na orelha delicada. — Podemos ter uma noite de paixão. Sem compromisso, remorso ou qualquer espécie de culpa. Ninguém ficará sabendo, só nos dois. Isso colocaria um fim a todos os nossos fantasmas e temores e depois poderíamos seguir em frente. O que me diz. Demi?

Meninassss isso é porquê eu amo muito vocês !!!!! Até amanhã !!!!!

4 comentários:

  1. HAHAHA SERÁ QUE TEM? ADOREI O CAP :)

    ResponderExcluir
  2. Será que Demi cairá no charme do Sr. Play boy?????
    Eu acho que vai ter HOT no próximo post....kkkkkkkk
    POSTA LOGO!!!!

    ResponderExcluir
  3. AAAAAS LINDO DEMAIS, POSTA.LOGO, BEIJOS.
    C. Shay

    ResponderExcluir
  4. que capitulo mais lindo, poosta loogo, pleeease, o que será que Demi vai responder??? hmmm, tenho uma pequena desconfiança, poosta pleeease, beeijos

    ResponderExcluir